Recarregar, reinventar, reabastecer

Combustível na reserva
Troco a erva do chimarrão
Não tá morto quem peleia, tchê
Game over ainda não

Já teve algum momento da sua vida que você parou, olhou no espelho, no fundo dos seus olhos e pensou: Mas que porra eu tô fazendo da minha vida?
A gente tá tão acostumado com tantas coisas do nosso dia a dia, são naturais, vai que vai. Mas por que fazemos isso? Isso lhe dá prazer? Será que a gente já não está acomodado demais?

Esses dias me olhei no espelho e tive a mesma sensação, mas não bastando isso a vida me deu uns vrá na cara, que eu parei e pensei “epa, algo de errado não tá certo”. Tanta coisa que fazia foi tomando uma proporção gigante, que eu nem percebi. Sabe quando tu faz tanta, mas tanta coisa, que nada vai pra frente? Arruma de um lado, capenga de outro, ajeita uma ponta aqui e outra se solta dali.

Neste exato momento que a sensação de Marinete de “A diarista” bateu na minha cabeça e eu percebi que precisava de um exame de consciência. Parece coisa da catequese, mas todo ser humano deveria ter esse momento. Comecei a mudar pequenas coisas, pequenas atitudes, e percebi que tiveram um efeito mais vrá que eu imaginava.
Iniciei com uma pequena mudança alisando o cabelo, e recebi alguns elogios “nossa como tu tais diferente Iza!”. Mas migos, eu só alisei o cabelo… Na semana seguinte veio o baque maior, vou pintar. Me tornei ruiva. Como se não bastasse fui ao salão fazer as unhas dos pés e das mãos, toda garota.

Depois dessas pequenas coisas que fiz, comecei a perceber a importância das coisas de repente mudarem, assim, sem mais nem menos. Se re-organizar, se ajustar, definir novas metas pra sua vida, e ver o que você precisa fazer pra alcançar elas.

Ás vezes nossa vida tá tão bagunçada e cheia de turbulências que a gente nem sabe por onde começar, comecei a minha limpando um guarda roupa, até pintando o cabelo. Vou contar pra vocês, tenho me sentido melhor, e depois disso, muitas coisas vieram mudando ao meu redor também.

Não tenham medo de mudanças, sair da tão adorada zona de conforto, aproveita por que a vida é só uma te joga na mudança. Pinta o cabelo, se não der certo, você pinta pra cor antiga, começa um curso, se não der certo você para e analisa “realmente aquilo não era pra mim”, vamos nos arriscar mais, sair do e se, e se, e se. Quando pensamos demais, acaba que não saímos do lugar.

Faça as coisas por impulso, por emoção, depois tu olha pra trás e vê as merda que deu. Mas se te dá na veneta de fazer algo, vai, não pensa.

Recarregar é a palavra de agora, reinventar, ser uma nova lagarta pra sair do casulo de novo. Todos os dias nós ganhamos uma chance nova de fazer diferente nossas vidas, então por que não fazer?

Você também vai gostar de:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *